IBICT participa da 1. Conferência Luso-Brasileira de Acesso Livre

Reunir as comunidades brasileiras e portuguesas que desenvolvem pesquisas e   gestão de serviços relacionados ao acesso livre ao conhecimento. Este é o objetivo da 1. Conferência Luso-Brasileira de Acesso Livre, realizada entre os dias 25 e 26 de novembro, na Universidade do Minho, em Portugal.

O evento é fruto de um Memorando de Entendimento assinado entre os Ministros da Ciência e Tecnologia do Brasil e em Portugal em Outubro de 2009, e segue a tradição das reuniões promovidas pela Universidade do Minho em prol das discussões em torno de repositórios e revistas de acesso livre desde 2005.

Como participante brasileiro na organização do evento, o IBICT encontra-se representado pela Dra. Marisa Brashcer, coordenadora de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados e pela Dra. Bianca Amaro, coordenadora do Laboratório de Metodologia de Tratamento e Disseminação da Informação. Em suas comunicações, a Dra. Marisa e a Dra. Bianca apresentarão o panorama do acesso livre no Brasil, divulgando experiências como o fomento para a criação de repositórios institucionais,  além de tratar da cooperação entre Brasil e Portugal em ações comuns e estratégicas em prol do acesso aberto à informação científica.

A Conferência será transmitida ao vivo por meio de streamming, por meio do link:
http://streaming.uminho.pt/acessolivre.

Alternativamente, pode ser acessada também em:
http://www.scom.uminho.pt/Default.aspx?tabid=7&pageid=204&lang=pt-PT

Mais informações no site do evento: http://confoa2010.acessolivre.pt

Anúncios

II Workshop para Construção de Repositórios Institucionais

Mais 7 projetos vinculados a universidades acabam de receber o kit tecnológico do edital IBICT/FINEP/PCAL/XBDB nº 003/2009 destinado ao fomento para  construção de repositórios institucionais.

As instituições contempladas se reunirão entre os dias 17 a 19 de novembro para o II Workshop para Construção de Repositórios Institucionais. Trata-se de uma iniciativa conjunta do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e da Universidade de Brasília (UnB), por meio da Faculdade de Ciência de Informação.

Assim como aconteceu no mês de julho, as oficinas são destinadas exclusivamente às instituições envolvidas com o projeto. Dessa vez foram contampladas a Biblioteca Universitária da Universidade Federal do Ceará; o Centro de Difusão do Conhecimento, da Universidade Federal de Juiz de Fora; Universidade Federal do Espírito Santo; Universidade Federal de São Paulo; Universidade Federal do Mato Grosso do Sul; Universidade do Pará e a Fundação João Pinheiro.

Detalhes sobre a programação do II Workshop poderão ser obtidos aqui.

Repositórios brasileiros de acesso aberto serão lançados amanhã

A partir de amanhã, dia 15/10, as universidades brasileiras passarão a contar com um importante aliado para aumentar a visibilidade de suas produções acadêmicas. Trata-se do marco para o lançamento, em conjunto, dos repositórios institucionais das 33 instituições públicas de ensino e pesquisa contempladas com os kits tecnológicos distribuídos por meio da parceria entre o IBICT – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia e FINEP – Financiadora de Estudos e Projetos, ambos órgãos vinculados ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

O chamado “kit tecnológico” é composto de um servidor instalado com software livres que compõem o ambiente de desenvolvimento, tais como sistema operacional Linux, acompanhado de servidor Web Apache, PHP e banco de dados MySQL, além dos aplicativos específicos para a construção e gerenciamento dos repositórios, como o Dspace e SEER – Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas.

A primeira distribuição dos kits para construção de repositórios ocorreu no final de 2009, acompanhado de um encontro presencial com representantes das instituições onde foram tratados diretrizes para a elaboração e desenvolvimento de um plano de trabalho para implantação dos repositórios. Na ocasião, também foi lançado e distribuído o livro “Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto”, do professor Fernando César Lima Leite.

Em julho de 2010, representantes dessas instituições tornaram a se reunir, em Brasília, para o I Workshop para Construção de Repositórios Institucionais com o objetivo de capacitar os profissionais de informação e técnicos envolvidos diretamente com os projetos de repositórios institucionais. O evento mobilizou os esforços de técnicos e especialistas do IBICT e da Universidade de Brasília (UnB) durante os treinamentos.

De acordo com a coordenadora do Laboratório de Metodologia de Tratamento e Disseminação da Informação do IBICT, Bianca Amaro de Melo, os repositórios institucionais devem servir às necessidades gerenciais de universidades e institutos de pesquisa, mas, sobretudo, devem assumir a responsabilidade de contribuir para a reformulação do sistema de comunicação científica. “Mais do que uma tendência mundial a ser seguida, incentivar a construção de repositórios institucionais é uma importante estratégia que contribui para o aumento da visibilidade da produção científica nacional”, destaca Bianca.

RICAA

O lançamento simultâneo dos repositórios institucionais de ensino e
pesquisa é também o primeiro passo para a formação da Rede Brasileira de
Repositórios Institucionais Científicos de Acesso Aberto (RICAA), que
será apresentada no próximo dia 18/10 durante o XVI Seminário Nacional
de Bibliotecas Universitárias (SNBU), em um painel específico sobre o
acesso livre no Brasil. A proposta da criação da rede é fruto de um
esforço conjunto da Universidade de Brasilia (UnB) e do IBICT.

No SNBU, pesquisadores e especialistas envolvidos com o tema falarão
sobre tópicos como a cooperação nacional e internacional e desafios na
construção dos repositórios institucionais, além de compartilharem as
experiências de sucesso, como os casos da UnB e da Universidade de São
Paulo (USP).

Essas iniciativas marcam a participação brasileira durante a Semana Mundial do Acesso Aberto (Open Access Week 2010), comemorada entre os dias 18 a 24 de outubro com o propósito de mobilizar as instituições governamentais e da sociedade civil em prol da promoção e consolidação dos repositórios e publicações científicas em todo o mundo sob o princípio do livre acesso à informação.

Mais informações:

Secretaria do Laboratório de Tratamento e Disseminação de Informação do IBICT.
Tel: (61) 3217-6249

Programação do painel sobre Acesso Livre no Brasil durante o XVI SNBU
http://www.snbu2010.com.br/programa.asp#dia18

Instituições de ensino e pesquisa contempladas pelo Edital IBICT/FINEP:

  1. Universidade do Rio Grande
  2. Universidade de São Paulo
  3. Universidade Federal de Goiás
  4. Universidade Federal de Mato Grosso
  5. Universidade Federal de Ouro Preto
  6. Universidade Federal de Pelotas
  7. Universidade Estadual de Ponta Grossa
  8. Universidade Federal de Santa Catarina
  9. Universidade Municipal de São Caetano do Sul
  10. Universidade Federal de Viçosa
  11. Universidade Federal do Acre
  12. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
  13. Universidade Federal do Maranhão
  14. Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  15. Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  16. Universidade Federal de Sergipe
  17. Universidade Federal do Tocantins
  18. Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais
  19. Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – INMETRO
  20. Universidade Federal de Pernambuco
  21. Universidade federal de Alagoas
  22. Universidade Federal de São Carlos
  23. Universidade Federal de Grande Dourados
  24. Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  25. Instituto Nacional de Tecnologia – INT
  26. Universidade Federal de Uberlândia
  27. Universidade de Brasília-UNB
  28. Centro de tecnologia da informação Renato Archer – CTI
  29. Fundação Santo André
  30. Museu Paraense Emílio Goeldi
  31. Universidade Federal da Bahia
  32. Universidade Federal Fluminense
  33. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – Rio de Janeiro

Políticas e práticas de Acesso Livre em universidades – Por Alma Swan e Frederick Friend

Alma Swan e Frederick Friend escreveram um artigo publicado em 25 de fevereiro sobre políticas e práticas de Acesso Livre em universidades.

No texto, os autores apresentam uma série de benefícios advindos do uso das tecnologias de acesso aberto, como a publicação de periódicos em formato livre, repositórios de acesso livre e repositórios de acesso livre com serviços adicionais. Além disso, eles fazem uma síntese do modelo de custos-benefícios do uso do Acesso Livre nas comunicações acadêmicas. Esse modelo foi desenvolvido pelo JISC com base no modelo do economista australiano Jhon Houghton e sua equipe.

Entre as vantagens citadas no artigo, estão a maior eficiência e eficácia no momento em que os pesquisadores buscam as informações, redução dos custos de manutenção de assinaturas de revistas científicas, facilidades para gerencia de processos editoriais, entre outros.

Há também um gráfico interessante, resultante do estudo, que mostra a economia provável de custos no uso de diferentes formas de Acesso Livre.

Clique aquí para ver o artigo na íntegra.

Planejamento de RIs

Quando se decide criar um repositório institucional RI, é preciso, antes de mais nada pensar no funcionamento desse RI, sua criação deve ser voltada tanto para as características do software utilizado quanto para as necessidades da comunidade atendida e a missão instituição hospedeira.

Um RI deve ser pensado e planejado com muita atenção. Um bom planejamento começa com o registro das idéias em um papel, é bom escrever, formalizar o que está sendo pensado e está é uma etapa fundamental na construção de um serviço de informação.

Planejar um RI inclui a definição das políticas de depósito, a estrutura organizacional das informações, a previsão dos recursos (físicos, financeiros, humanos, tempo…). Além disso, no planejamento que são traçados os caminhos a serem seguidos e os possíveis erros. Sim, os erros também devem ser previstos. Um bom plano serve para prever e minimizar os erros, que devem ser calculados para no caso de virem a acontecer serem sanados da melhor e mais rápida maneira possível.

Como continuidade deste processo, temos a avaliação e o acompanhamento. Embora sejam termos complementares, eles são distintos, mas sua aplicação pode acontecer de forma simultânea. O acompanhamento consiste em seguir a implementação das etapas de construção do RI para garantir a concretização do plano. Já avaliação serve para medir em que grau as metas foram, ou não, atingidas e com que grau de eficiência.

Planejar é a melhor maneira de iniciar o processo de criação de um RI. O plano ordena as etapas a serem executadas, determina os atores e suas funções, os recursos necessários, ajuda no controle de erros. Em resumo, um bom planejamento é peça fundamental para garantir o sucesso de um repositório.

infoKit

O infoKit é uma espécie de “manual”, um “guia” de melhores práticas para a criação e gestão de repositórios. Ele foi construído por administradores de repositórios com base na documentação, orientação e experiência acumulada durante o RSP – Repositories Support Project. Sua ênfase está voltada para os repositórios institucionais e para o processo de planejamento em seções detalhadas sobre como criar, promover, manter e gerir um RI.

Este kit, não parte da necessidade de conhecimentos prévios, nem sobre repositórios, nem sobre a parte técnica, sendo uma ferramenta básica de introdução à gestão de RIs.

Seus objetivos são:

  • Cobrir em detalhes toda a instalação, configuração e manutenção de processos em RIs;
  • Sintetizar os resultados práticos do projeto RSP;
  • Oferecer às comunidades, informações sobre as melhores práticas;
  • Ensinar sobre a utilização eficaz dos repositórios.

Para consultar informações não encontradas no Kit, entre em contato com support@rsp.ac.uk

Mais informações em:

http://www.jiscinfonet.ac.uk/infokits/repositories/index_html

http://www.jiscinfonet.ac.uk/infokits

Promoção “Eu apoio o Acesso Livre”

O Blog Acesso Livre Brasil está rpomovendo a Promoção “Eu apoio o Acesso Livre”.

Participar é fácil, não tem custos e você ainda concorre a prêmios!!

Veja como no www.acessolivrebrasil.wordpress.com